NÃO SE FIRMOU, EM 1989, A REPÚBLICA EUBIÓTICA UNIVERSAL

Segundo o Professor Henrique José de Souza, “a Política é a arte de governar”.

Quanto a isto, quão distante nessa arte está o Brasil… Colabora para esse distanciamento o vício ancestral do apadrinhamento em cargos públicos. Quantas vezes cargos de relevância e outros igualmente importantes ficam sob a direção de pessoas sem nenhuma prática em lidar com a coisa pública. É fundamental ser bem gerido tudo o que se relaciona com o povo. Vencida a eleição, começam os favorecimentos e também o cumprimento das promessas feitas em campanha para ganho de votos e apoio político. Nada disso é bom para o País. Quantos competentes funcionários de carreira poderiam ocupar cargos de suma importância, porém isso não atende a interesses pessoais ou de alguns grupos…

Essa dívida ancestral dos políticos para com o povo parece não ter fim. Irresponsabilidade cuja consequência cai sempre sobre os ombros dos mais pobres, porque os ricos, pela sua própria condição de vida, nada lhes afeta.

Não faltam leis injustas que facilitam a vida dos que já dispõem de boa situação financeira. Deveria então acontecer o mesmo aos que vivem em dificuldade. Essas leis podem até existir, mas somente no papel, pois não funcionam.

Nosso faro nos leva a crer que para uma boa camada da sociedade, já por índole egoísta, é indiferente aumentar ou não o poder aquisitivo dos pobres. Falha de caráter, pois Jesus recomendou não fazer aos outros o que não queremos que nos façam.

O desvio do dinheiro público – pertencente ao povo brasileiro – vai num crescendo de estarrecer! Para que ser honesto, ouve-se perguntar, se os transgressores não são punidos? Quando algum retorno do que foi roubado se consegue, é ínfimo demais diante do que saiu do País.

Atenta a esses desmandos, procuramos na leitura de determinados livros ultimamente publicados, entender tais desvios de conduta que tanto mancham o nome do Brasil, envergonhando os que pautam a vida com dignidade. Tais livros esmiúçam e comprovam com fatos documentados, os porões não da ditadura, mas dos execráveis conchavos, acordos espúrios que chegam a enojar, afora a revolta que se sente. Triste constatar que isso está proliferando no País pródigo e belo que é o Brasil. Razões desconhecidas, talvez kármicas, não sabemos, continuam atraindo para o Brasil pessoas improdutivas, porque sugam a Nação. A corrupção tornou-se epidêmica…

Tudo isso porque a Justiça não é justa. As prisões estão abarrotadas de pobres e negros. Esses que se enriquecem esvaziando o Brasil, nenhum deles está junto aos demais prisioneiros. Dirão os que de nós discordam: mas pelo menos eles não matam pessoas. Como não matam? O montante que roubam sem esforço algum e com cumplicidade, além de ser um incentivo pela falta de punição, deixa de ser aplicado em proveito de todas as pessoas, mas principalmente as crianças, que somente alcançam a idade adulta se forem bem alimentadas.

Desses livros por nós lidos integralmente, podemos citar O Dinheiro Sujo da Corrupção; Privataria Tucana; Memorial do Escândalo; Sanguessugas do Brasil;  Operação Banqueiro; O Príncipe da Privataria; Assassinato de Reputações; e Operação Satiagraha, este último com nome bem sugestivo, pois satya é termo sânscrito significando verdade, e agraha significa firmeza. O autor na juventude leu os Vedas, cujos ensinamentos ele adotou e o ajudaram a superar as dificuldades no trabalho da investigação Satiagraha, por ele coordenada. Tem por hábito meditar… E utiliza o Salmo 90 (91) para se proteger.   

Pelos cálculos do Prof. Henrique José de Souza, que dificilmente falha em suas previsões, em 1989 deveria ser implantada a República Eubiótica Universal, um modo mais humano e justo das nações se conduzirem. Essa república abriria as portas imaginárias para o ingresso de mentes privilegiadas, trazendo benefícios importantes para o Brasil, como carro condutor que é da evolução do Novo Ciclo, estendendo-se tais benefícios às demais nações. Um salto premeditado pela Lei Divina, para que o avatara Maitreia possa sem risco manifestar-Se em solo brasileiro.

Forças retrógradas, que preferimos chamar de magos negros, pois é o que eles são: seres tão maléficos, de alta periculosidade, conhecidos nos Colégios Iniciáticos como nirmanakayas negros, conscientes do mal que praticam, agiram rápido, impedindo a implantação do magno acontecimento. Já no passado retardaram outro salto evolucional, ao iludirem o povo brasileiro com o infame golpe de 1964, retirando do poder um presidente eleito, herdeiro político de Getúlio Vargas e pondo no seu lugar uma junta militar cujos membros se sucederam por 21 anos. Duas décadas de atraso até hoje não compensadas de sofrimento, perseguições e a pior das infâmias, o uso da força pela tortura.

Próximo ao ano 1989, seguiu para o exterior uma boa quantidade de jovens para se especializar em cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado. Quando retornassem, o potencial adquirido lá fora, o conhecimento alcançado daria um impulso significativo ao Brasil. Entretanto, como diz um velho ditado, “nada envelhece tão rápido quanto um benefício”. Foi o que aconteceu. Muitos desses jovens se tornaram doutores, sim, mas na prática já aqui viciosa, de expropriar o Brasil de suas riquezas, com práticas políticas e econômicas extremamente prejudiciais ao país. Mais uma vez, o ascender evolucional e material da Nação Brasileira rumo à República Eubiótica Universal, teve de ser adiado… O impedimento foi tão forte, que no próprio ano 1989 foi criada uma cartilha incentivando a ser implantada no Brasil a doutrina criada pelo Consenso de Washington *. Nada que vem de fontes estrangeiras, principalmente dos Estados Unidos, quer o bem do Brasil; esse gigante, belo e pujante, incomoda vê-lo sobressair. Atentem bem para isso. Temos que nos valer de nós mesmos e amar, amar muito o Brasil para que as realizações do Alto se concretizem. Leiam com atenção as palavras do Prof. Henrique pronunciadas em 1950, e que fazem parte do livro Ocultismo e Eubiose: “Lamentamos ser obrigados a dizer que o Brasil está ainda, politicamente, muito atrasado em relação ao seu destino de modelo das nações, como exige a própria Lei que a tudo e a todos rege”.  Leiam mais estas, publicadas na revista Dhâranâ nº 112, ano 1942: “Condenamos a política de campanário que tanto mal faz à nossa Pátria, e sentimos náuseas insopitáveis ao vermos a cegueira ou a miséria moral daqueles que, consciente ou inconscientemente, atraídos pelo fascínio da força bruta, apunhalam pelas costas a terra que lhes serve de berço, entregando-a ou vendendo-a a quem mais der”. E por fim, embora haja muito mais ainda a dizer, esta séria advertência em 15 de maio de 1951: “Nossa Obra está no Brasil porque era nele que devia estar… Somos políticos como cidadãos, e apolíticos como espiritualistas. Duas faces para o mesmo indivíduo que não prejudica uma a outra. Basta não se servir de ambas ao mesmo tempo, e nos lugares que lhes não sejam correspondentes. Não se admite discussões políticas no recinto da STB (hoje SBE), por ser o lugar apolítico, o lugar que se pensa e defende a PAZ e a Felicidade de todos os Povos. O mesmo em nosso Templo. Na rua, em nossos lares, a coisa é diferente!”

Creio que por ora basta.

_________________

Zélia Scorza Pires

São Lourenço, 14.04.2014

* Consenso de Washington é um conjunto de medidas – que se compõe de dez regras básicas – formulado em novembro de 1989 por economistas de instituições financeiras situadas em Washington D.C., como o FMI, o Banco Mundial e o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, fundamentadas num texto do economista John Williamson, do International Institute for Economy, e que se tornou a política oficial do Fundo Monetário Internacional em 1990, quando passou a ser “receitado” para promover o “ajustamento macroeconômico” dos países em desenvolvimento que passavam por dificuldades.

_______________

Fonte: Internet

Ou seja, dizemos nós, escravizar os países com dívidas inacabadas, por serem impossíveis de pagar.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Generic selectors
Palavra Exata
Procurar nos Títulos
Procurar no conteúdo
Procurar em Artigos
Procurar nas Páginas
Poesias
Livros
Filtrar por Categorias
Artigos Bibi
Artigos e Diversos.
Artigos Eymar
Artigos HJS
Bibi
Eymar
Fotos Bibi
HJS
Notícias
Poesias Bibi
Poesias Eymar

Livros de Adiel

  • Quando Deus É Feito Homem
  • Muito Pouco de Muuuito
  • capa-joana-e-as-sementinhas
  • Capa-a-rosa-e-o-edificio
  • capa-os-numeros-e-suas-queixas
  • capa-a-borboleta-filosofa
  • capa-cartilha1
  • capa-cartilha2
  • capa-cartilha3
  • capa-cartilha-4
  • capa-as-letras-na-montanha-thumb
  • capa-os-gemeos-espirituais