Ouvindo Deus

Não deves opor-te a correnteza
Quando tudo ignoras sobre mim
Que vivo oculto atrás da natureza
E que distingue o bom do que é ruim.

Quando ainda no lodo, te arrastavas
Informe, obscuro em prisca era
Só eu sabia o teu destino escrito
Naquele frágil corpo de monera.

Depois te fiz pessoa por muitas formas
Grotescas, delicadas, belas e horrendas
Fostes uma planta, um peixe, o mar, um réptil
Tendo por lar o chão, o mar, as fendas.

Nesse longínquo, nem sonhavas
Pensar, agir, interrogar.
Pois eu era em ti, apenas o instinto
Há no teu imo uma força a te guiar.

Um dia fiz-te um homem!
Dei-te inteligência, amor, razão.
E a partir desse ato generoso.
Mergulhei mais fundo no teu coração.

Mas tu, insensato, louco, astuto.
Começastes a julgar-te o rei da criação
E a proceder por ti, pobre coitado
Deixaste de ver e de sentir a minha mão.

Julgas saber quem és e onde vais
E assim te debates nessa treva
Que pensas ser luz em tua cegueira.

E querendo subir, mais baixo cais
Por não saberes o que tenho para ti
Traçado ao te esboçar a vez primeira.

Se queres sábio, viver em paz contigo
Deixa fluir a vida e me descobre
E eu te direi então onde te levo
Por trás do véu que teu futuro encobre.

E terás paz, sabendo que não podes
Traçar teu rumo sem que eu mesmo o faça.

(Santarém – 1958)

Generic selectors
Palavra Exata
Procurar nos Títulos
Procurar no conteúdo
Procurar em Artigos
Procurar nas Páginas
Poesias
Livros
Filtrar por Categorias
Artigos Bibi
Artigos e Diversos.
Artigos Eymar
Artigos HJS
Bibi
Eymar
Fotos Bibi
HJS
Notícias
Poesias Bibi
Poesias Eymar

Livros de Adiel

  • Quando Deus É Feito Homem
  • Muito Pouco de Muuuito
  • capa-joana-e-as-sementinhas
  • Capa-a-rosa-e-o-edificio
  • capa-os-numeros-e-suas-queixas
  • capa-a-borboleta-filosofa
  • capa-cartilha1
  • capa-cartilha2
  • capa-cartilha3
  • capa-cartilha-4
  • capa-as-letras-na-montanha-thumb
  • capa-os-gemeos-espirituais